Moda depois dos 60. Mudanças e novos tempos!

Vivemos um momento e uma visão mais positiva do envelhecimento, tendo o conceito de terceira idade ressignificado nas possibilidades de ser e estar no mundo, muito mais associado aos estilos de vida do que a meras e limitadoras classificações etárias. Há velhas jovens e jovens velhas, é tudo uma questão de ponto de vista. A julgar por várias capas de revista da atualidade, as mulheres com mais de 60 anos (chamadas de “geração silenciosa” em algumas pesquisas de comportamento) já podem comemorar: elas têm voz e vez em campanhas de marcas famosas tanto de moda quanto de cosméticos, já aparecem em diversos desfiles cruzando as passarelas ao lado de jovens com um terço de sua idade e vestindo os mesmos looks.

Com acesso à informação, tecnologia e poder aquisitivo, esse público “ageless” não está preocupado em consumir coisas, mas experiências. Sabem que o tempo é precioso e o usam a seu favor. Buscam consumir de marcas com as quais se identificam e que façam sentido no seu conjunto de crenças e valores. Não querem mais ficar invisíveis no mercado, sabem que sua bagagem de vida pode fazer a diferença num mundo onde a diversidade e a quebra de padrões estéticos começa a se impor. Mais do que uma tendência de comportamento, estamos vendo um tsunami de mudanças e de quebra de paradigmas no que diz respeito à idade, ao gênero e ao que se entende por beleza nos dias de hoje.

Não por acaso, a ex-modelo e atriz Lauren Hutton, 74 anos, é a estrela da revista Elle deste mês de julho, posando sem photoshop na capa e no editorial de jeans, ela que, nos anos 80, foi dispensada de uma marca famosa de cosméticos por ser considerada “velha”, e tinha 40 anos na época! A MAC também percebeu esse mercado promissor das mulheres maduras em 2011 ao criar uma coleção cápsula de maquiagem com a ícone de estilo Iris Apfel, então com 90 anos, sucesso absoluto de vendas. Há muitos exemplos dessas mulheres e homens cheios de estilo, que provam que a idade é apenas um número. O site Advanced Style está repleto deles, o que nos faz pensar que o entendimento do que é ser “velho” está em constante evolução e já não é silencioso como antigamente. Ao contrário, há vozes clamando “ainda estamos aqui!”. Quem trabalha com Moda e Publicidade precisa ver, ouvir e estar atento aos novos tempos, onde velho mesmo é o preconceito de quem não acompanhou essas mudanças.

Foto da capa: Advanced Style abaixo: Divulgação ESPM

Madeleine Muller é professora de Design de Moda na ESPM-Sul

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *