Malala em Davos: precisamos ensinar meninos a serem homens

“A educação dos jovens sobre o tema dos direitos das mulheres é um passo crucial para acabar com a desigualdade de gênero”, disse Malala Yousafzai durante uma sessão em Davos. “Quando falamos sobre o feminismo e os direitos das mulheres, estamos nos dirigindo aos homens”, afirmou.

“Os homens têm um papel importante a desempenhar. Temos de ensinar jovens como ser homens. Para ser um homem, você deve reconhecer que todas as mulheres e todos os que estão à sua volta têm direitos e que você é parte desse movimento pela igualdade”, discursou. Cinco anos atrás, Malala Yousafzai foi baleada na cabeça pelos talibãs no Paquistão por desafiar a proibição da educação de meninas. Desde então, ela se tornou a pessoa mais jovem a receber o Prêmio Nobel da Paz, escreveu dois livros e ganhou um lugar para estudar na Universidade de Oxford.

Em janeiro de 2009, quando Malala tinha apenas 11 anos, os talibãs anunciaram que nenhuma garota podia ir à escola. Este foi o momento em que percebeu que a educação “é mais do que ler livros e fazer lição de casa”, afirmou. “Os extremistas perceberam sobre o empoderamento das mulheres. Eles sabiam que é por meio da educação que nós podemos obter trabalhos, conquistar independência e tomar decisões”, acrescentou.

Nas campanhas atuais para os direitos das mulheres, como #timesup ou #Metoo, ela ressaltou: “Um movimento está se acumulando e as mulheres estão percebendo que suas vozes são importantes. Eu disse há muito tempo durante um discurso da ONU que primeiro queríamos que os homens fizessem algo por nós, mas esse tempo passou, então vamos fazer isso nós mesmas”. “Eu não posso enviar todas as meninas para a escola, isso seria impossível”, ressaltou. Segundo ela, educar as meninas é uma responsabilidade coletiva, e devemos perceber que temos um papel a desempenhar, inclusive os líderes mundiais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *